O organismo após o nascimento

Ao nascer, o organismo encontra-se apto para procurar fontes de energia, incorporar e transformar energia (alimentar-se, respirar); manter no interior do organismo uma harmonia química compatível com a vida; substituir os subcomponentes que envelhecem e morrem, de forma a manter a organização e a defender o organismo dos processos de doença e de lesões físicas.

Todos os organismos vivos, desde os constituídos por uma única célula até os pluricelulares, como o ser humano, nascem geneticamente prefixados com organizações apropriadas para responderem incondicionalmente. Assim, nosso organismo, sem experiência alguma (sem aprender), de modo automático e sem fazer uso de qualquer raciocínio, reage a alguns estímulos provocados por diversas circunstâncias de mudanças do meio ambiente externo (um corte, uma forte luz, o cheiro da criadora) e do próprio organismo (sensação de fome, frio, cólica).

Ao nascer, esse organismo já possui uma central coordenadora do que acontece no interior do corpo, bem como diversos pontos emissores e receptores de informações (sinais) distribuídos em todas as células, tecidos e órgãos. Apesar desse sistema nervoso inicial ser eficiente quanto ao equilíbrio do organismo interno, o recém-nascido tem pouquíssima capacidade para conviver de forma adaptada com o mundo externo (como os mamíferos e aves) e, caso não tenha um criador, fatalmente não sobreviverá.

Uma parte desse conjunto de circuitos está relacionada aos nervos motores e sensoriais periféricos. São essas vias que enviam sinais de todas as partes do corpo para o cérebro e deste para o corpo. Outras vias são as informações transmitidas pela corrente sanguínea (sinais químicos, como os hormônios). Outras informações são transmitidas pelos neurotransmissores, ou seja, substâncias químicas liberadas difusamente de alguns neurônios transmitindo informações para diversos outros pontos, entre eles a dopamina, noradrenalina, acetilcolina, serotonina, etc.; entre os peptídeos encontram-se as endorfinas (relacionadas à dor e relaxamento) e a oxitocina (relacionada às paixões).

Sabe-se que os sinais captados e enviados pelo sistema nervoso autônomo originaram-se de regiões evolutivamente mais antigas (amígdala, cíngulo, hipotálamo e tronco cerebral), enquanto que os sinais para o sistema músculo/esquelético, mais recentes, originaram-se nos córtices motores e núcleos motores subcorticais.

Cada um desses “pontos” (centros, estações) encontra-se interligado e em comunicação, uns com os outros, através de uma extensa rede neural (circuitos) e química, permitindo a emissão e a recepção de sinais originários dos mais variados elementos e pontos do organismo. Cada grupo de células semelhante dá origem a tecidos, órgãos ou estruturas típicas. Esse conjunto interligado irá formar um organismo particular que recebe o nome de homem, abelha, peixe ou cobra. Todas as partes de um organismo interligadas, mesmo antes do nascimento, trabalham para a sobrevivência do organismo total, coordenador do conjunto.

Entretanto, essa estrutura pronta para viver, logo ao nascer, durante a sua história aqui na Terra, desenvolve e adquire outras habilidades, todas elas assentadas ou presas às células e ao funcionamento das iniciais. De outro modo, utilizando-se da rede elétrica, dos pontos já existentes, poderemos, caso formos estimulados para isso, criar extensões, colocar uma ou outra iluminação, ligar aparelhos de TV, DVD, etc. Nesses casos, há necessidade de se fazer alguns “arranjos” na fiação original, pois sem estes o organismo não seria capaz de assentar uma cerca elétrica, o chuveiro elétrico, o telefone e outros aparelhos.

Caso o sistema do recém-nascido estiver lesado no início da vida, o animal terá dificuldade em sobreviver de forma natural e, nesse caso, precisará receber cuidados especiais de seus criadores. No caso de lesões ao nascer, as reações da criança ao meio, bem como suas expressões para o criador, serão diferentes das esperadas para os possuidores de circuitos íntegros do sistema nervoso.

O sistema existente no nascimento continua a operar no adulto, mesmo quando outros mecanismos, ditos superiores – os aprendidos – se desenvolvem e passam a funcionar.

Comente!

Você precisa fazer LogIn para publicar um comentário.

Você está lendo...

Homem, animal de duas cabeças

Capa  Homem, animal de duas cabeças

Somente há mais ou menos vinte anos que as principias revistas de Medicina e Biologia do mundo começaram a despejar sobre os leitores curiosos texto ...

Livro online (leia aqui!)

Painel de acesso

Veja também…

Abuso / Violência Sexual Abusos nas Receitas Médicas Agressividade e Violência Alcoolismo (vício em álcool) Ansiedade Ansiolíticos Antidepressivos Aprenda a não ser tolo Avaliação Psicológica / Diagnósticos Casamento: felicidade e problemas Charlatões / Manipuladores Comportamento / Condutas Consultas médicas / Exames / Tratamentos Crenças antigas / Mitos / Superstições Cérebro e Mente Dependência Psicológica Dependência Química / Drogadição Depressão Desenvolvimento Cognitivo / Cognição Disfunções Sexuais (Problemas Sexuais) Divórcio / Separação Doentes Mentais - Pacientes Psiquiátricos Doenças e Doentes Doenças Mentais (transtornos) Dopamina Drogas / Medicamentos / Remédios Educação e Conhecimento Efeitos Colaterais Emoções Primárias Emoções Sentimentos Controle Entendendo o Ser Humano Esquizofrenia Estresse (Stress) Estresses Problemas e Adversidades Estruturas Neurais Estímulos Emocionais Estímulos Sensoriais Evolução da Mente Família e Casamento Festas populares e Lazeres Filhos Filosofia Funções Cerebrais Guerra dos sexos Ideologias e sonhos Informação Linguagem e comunicação Jovens Ligações Amorosas / Afetivas / Sociais Linguagem médica / Jargões Livros Online Grátis Livros Psicologia Livros Psiquiatria Mapa mental Medicina Antiga Medo Pânico Memória e Indivíduo Médico vs Paciente Neuro-hormônios peptídeos Neurociência Neuropsicologia Neurotransmissores Oxitocina ou ocitocina Pensamento / Raciocínio Percepção Estímulo Poder da mente Política: Políticos e Corrupção Problemas sociais Psicologia Psicose (Delírios / Alucinações) Psicoterapia / Psicanálise Psiquiatria Psiquiatria Antiga Razão vs Emoção Receitas Médicas / Prescrição de Medicamentos Relacionamentos Religião Riscos para Saúde Saúde mental Serotonina Sexo e Sexualidade Simbolismos Sinapses Sistema Emocional Sistema límbico Sistema Motivacional Sistema Neural Neurônio Sistema Sensorial Sociedade: Valores e Cultura Solidão Suicídio Suicidas Síndrome de Abstinência Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG) Transtorno de Personalidade Anti-social (antissocial) Transtorno de Personalidade Narcisista Transtornos de Ansiedade Transtornos de Personalidade Transtornos dos Hábitos e dos Impulsos Transtornos Emocionais (de Humor) Transtornos Sexuais Uso de Drogas (Consumo)