Tranquilizando o leitor

Não se assuste, caro leitor, com alguns nomes citados de regiões cerebrais; não precisa decorá-los. Existem muitos outros termos que não descrevi para não cansá-lo inutilmente. De forma resumida, o que desejo transmitir é que o nosso corpo, dia e noite, detecta as modificações que estão ocorrendo nele diante de estímulos vindos dentro e fora do organismo.

Do lado de fora do organismo nós ficamos atentos aos perigos e às situações que podem nos ser agradáveis; do lado de dentro detectamos mudanças que nos causam mal ou bem-estar (dores, medo, desarranjos, alegria, apetite, paz etc.).

Num e noutro caso, as ligações neuronais, comandadas por nosso cérebro, coordenam todas as ações possíveis visando a fuga, a destruição do fator que nos aborrece ou a aproximação para facilitar a ligação com um companheiro ou para um acasalamento, por exemplo. Todo o processo interno do organismo busca isso: aproximar-se do desejado ou afastar-se do indesejado. De modo bem geral: manter a paz do organismo e/ou o bem-estar.

Chamamos de emoções certos tipos de sinais internos que nos causam prazer ou desprazer, excitação ou indolência. Conforme esses sinais, nós nos aproximamos do objeto provocador do estado corporal, ou procuramos escapar daquilo que nos amedronta ou desagrada. De outro modo: o que chamamos vulgarmente de emoção nada mais é que modificações estruturais instaladas dentro do organismo, mapeadas ou sintetizadas por partes do cérebro.

Podemos adiantar que os sinais percebidos e, posteriormente, enviados pelo organismo ao cérebro, servirão de base para o que nós chamamos dos “sentimentos” que temos diante de determinadas emoções; estes sinais são, sobretudo, interoceptivos (percebidos internamente). Para que ocorra esse processo torna-se necessário que inúmeros sensores internos detectem mudanças num ou noutro ponto de desequilíbrio. O organismo, o mais rápido possível, de forma automática e auto-adaptada tenta reverter o transtorno existente. Esta é uma tentativa do organismo para voltar ao seu estado anterior, natural ou ótimo, variando em cada pessoa.

O fator regulador de funções internas do organismo é estimulado não só internamente, como também pelos sensores dos órgãos sensoriais: visão, audição, gustação, odor, pressão, sensação de calor etc. em virtude de estímulos do exterior. Acontece que o estímulo externo é geralmente complexo, isto é, composto de diversos estímulos diferentes. A pessoa estimulada pela agressividade de uma outra (como Maria), poderá ter as mais diversas emoções, consequentemente, várias atitudes a elas relacionadas.

As atitudes desencadeadas irão variar conforme as características singulares de cada um, e também devido à focalização de sua atenção para um ou outro aspecto do estímulo/pessoa, bem como da interpretação (“Ele está brincando”, ou “Ele está querendo me matar”).

Assim, uma pessoa diante de um indivíduo agressivo pode partir para a briga, mas, também, imaginar: “Como ele está nervoso! Coitado, poderá ter um infarto a qualquer hora”. Mas poderá ainda especular, caso tenha tempo e calma: “Ele está me xingando para que eu perca a cabeça. Está perdendo seu tempo”; “Que cara mais feia; fica pior quando xinga”; “Até que ele raivoso fica mais bonito”; “Tenho dó dele, está cada dia pior”; “A vida inteira ele foi assim, daqui a pouco irá chorar e pedir desculpa. Coitado, vou mais uma vez perdoá-lo, ele não sabe o que faz”. Dezenas, milhares de outras suposições poderiam ser criadas, cada uma produzindo emoções diferentes.

A denominada “Terapia Cognitiva” visa a construir interpretações diferentes da que está sendo usada pelo cliente e causadora de seu sofrimento. Assim, diante de uma interpretação desagradável acerca de uma situação ocorrida, se constrói outra ou outras explicações, transformando, consequentemente, as emoções anteriores ruins em suposições suportáveis e, se possível, neutras, cômicas, e mesmo agradáveis.

Comente!

Você precisa fazer LogIn para publicar um comentário.

Você está lendo...

As Diversas Faces do Homem

Capa  As Diversas Faces do Homem

O objetivo aqui é o de transmitir ao leitor, ideias gerais e exemplos concretos capazes de esclarecer um pouco melhor a compreensão e a explicação ...

Livro online (leia aqui!)

Painel de acesso

Veja também…

Abuso / Violência Sexual Abusos nas Receitas Médicas Agressividade e Violência Alcoolismo (vício em álcool) Ansiedade Ansiolíticos Antidepressivos Aprenda a não ser tolo Avaliação Psicológica / Diagnósticos Casamento: felicidade e problemas Charlatões / Manipuladores Comportamento / Condutas Consultas médicas / Exames / Tratamentos Crenças antigas / Mitos / Superstições Cérebro e Mente Dependência Psicológica Dependência Química / Drogadição Depressão Desenvolvimento Cognitivo / Cognição Disfunções Sexuais (Problemas Sexuais) Divórcio / Separação Doentes Mentais - Pacientes Psiquiátricos Doenças e Doentes Doenças Mentais (transtornos) Dopamina Drogas / Medicamentos / Remédios Educação e Conhecimento Efeitos Colaterais Emoções Primárias Emoções Sentimentos Controle Entendendo o Ser Humano Esquizofrenia Estresse (Stress) Estresses Problemas e Adversidades Estruturas Neurais Estímulos Emocionais Estímulos Sensoriais Evolução da Mente Família e Casamento Festas populares e Lazeres Filhos Filosofia Funções Cerebrais Guerra dos sexos Ideologias e sonhos Informação Linguagem e comunicação Jovens Ligações Amorosas / Afetivas / Sociais Linguagem médica / Jargões Livros Online Grátis Livros Psicologia Livros Psiquiatria Mapa mental Medicina Antiga Medo Pânico Memória e Indivíduo Médico vs Paciente Neuro-hormônios peptídeos Neurociência Neuropsicologia Neurotransmissores Oxitocina ou ocitocina Pensamento / Raciocínio Percepção Estímulo Poder da mente Política: Políticos e Corrupção Problemas sociais Psicologia Psicose (Delírios / Alucinações) Psicoterapia / Psicanálise Psiquiatria Psiquiatria Antiga Razão vs Emoção Receitas Médicas / Prescrição de Medicamentos Relacionamentos Religião Riscos para Saúde Saúde mental Serotonina Sexo e Sexualidade Simbolismos Sinapses Sistema Emocional Sistema límbico Sistema Motivacional Sistema Neural Neurônio Sistema Sensorial Sociedade: Valores e Cultura Solidão Suicídio Suicidas Síndrome de Abstinência Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG) Transtorno de Personalidade Anti-social (antissocial) Transtorno de Personalidade Narcisista Transtornos de Ansiedade Transtornos de Personalidade Transtornos dos Hábitos e dos Impulsos Transtornos Emocionais (de Humor) Transtornos Sexuais Uso de Drogas (Consumo)